Ticker

6/recent/ticker-posts

Especial “Zezé Motta – Mulher Negra” vai celebrar Tereza de Benguela e o Dia da Mulher Afro-Latina-Americana e Caribenha

 

“Zezé Motta – Mulher Negra” será transmitido no dia 25 de julho e trará depoimentos de mulheres pretas como a cantora Iza, a filósofa Djamila Ribeiro, a escritora Conceição Evaristo, a influenciadora e ex-BBB Camilla de Lucas, e muitas outras.

 

O Dia 25 de Julho é uma data para trazer à memória de todos nós a luta das mulheres negras latino-americanas e caribenhas, para uma sociedade mais justa. É um dia especial para relembrar a história de Tereza de Benguela. No Brasil, no dia 02 de junho de 2014, foi sancionada a Lei que institui o Dia da Mulher Negra, em homenagem à grande líder quilombola – fruto de intensa mobilização dos movimentos de mulheres negras brasileiras.



Zezé Motta, ícone negro da cultura brasileira, promete não deixar a data passar despercebida. Neste 25 de julho, realiza às 17h, o especial “Zezé Motta – Mulher Negra”, que será transmitido no canal L!Ke (530 da Claro - 500 da Claro NET), e pelo canal oficial do Teatro Bradesco, no YouTube.

Na apresentação musical da atriz-cantora, músicas consagradas como “Magrelinha” de Luiz Melodia, e “Tigresa” de Caetano Veloso. Zezé vai estar acompanhada da maestrina Claudia Elizeu, e este ano uma novidade, seu pocket-show vai contar com a participação especial da jovem cantora Malía.

Nascida na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, Malía tem 21 anos e começou a carreira em um coletivo, no bairro de Madureira, como a forte voz feminina na afirmação da música urbana, no R&B e hip hop. Já foi uma das grandes atrações do Rock in Rio e teve algumas de suas músicas incluídas nas trilhas sonoras de novelas da Globo. Seu álbum “Escuta” atingiu 8 milhões de streams, no Spotify.

A apresentação será de Luana Xavier - atriz, apresentadora, influenciadora digital e ativista em prol do povo preto -, e Rafaela Pinah - Mulher trans negra, pesquisadora de tendências, colunista e diretora criativa do Coolhunter Favela. O especial trará ainda depoimentos de mulheres pretas como as atrizes Cris Vianna, Elisa Lucinda, Indira Nascimento, Cacau Protásio, a cantora Iza, a escritora Conceição Evaristo, a filósofa Djamila Ribeiro e a ex-BBB Camilla de Lucas.

A gravação vai acontecer no coração de Santa Teresa, em um dos lugares mais charmosos da Cidade Maravilhosa, o Chez Georges Rio, com uma vista única do mar e do Pão de Açúcar. Seu estilo é único e considerado modernista brutalista, fazendo uso de grandes arcos, concreto e madeiras de lei.

Com mais de 50 anos de carreira, Zezé Motta é a típica mulher da pele preta que se tornou figura respeitada na música, televisão e cinema, venceu o preconceito, quebrou paradigmas e, desde os anos 70, vem usando seu espaço na mídia para denunciar, lutar e reivindicar a questão do negro.

Com seu canto de luta e resistência, Zezé é a estrela principal do especial que contará com roteiro e direção de Yasmin Thayná. Criadora do Afrolix, plataforma que reúne produções de artistas negros, Yasmin foi vencedora do "Oscar africano" pelo curta ‘”Kbela”, foi considerada pela Forbes, em 2021, como um dos 90 nomes brasileiros, abaixo de 30 anos, mais brilhantes em sua área de atuação.



“É difícil fazer arte no Brasil, de um modo geral, mas para a mulher negra é mais difícil ainda. A minha questão sempre foi com a justiça. Vejo este especial como uma grande homenagem, elas são importantes porque significam o reconhecimento de uma batalha para construir uma carreira. Iniciar uma carreira em qualquer segmento é difícil e mantê-la é mais complicado, ainda mais com os conflitos que temos, sejam eles de gênero ou de cor. Quando as coisas começaram a dar certo pra mim, eu sempre me questionava, só que não possuía um discurso articulado, foi então que conheci Lélia Gonzalez, a partir daí ela virou minha guru, logo no primeiro dia que a conheci ela me disse: (Nós não temos tempos para lamúrias. Temos que arregaçar as mangas e virar esse jogo). E essa frase ficou definitiva na minha vida. Hoje não sofro com a discriminação racial, mas aproveito o espaço da mídia para denunciar, combater. E vejo isso como uma missão. Venho tentando virar esse jogo há mais de 50 anos”, afirma Zezé Motta.

“Todas as chefes de equipe, direção, roteiro, direção de fotografia, direção de arte e montagem são comandadas por mulheres negras. É muito importante que num dia como esse, o 25 de julho, a gente possa se celebrar de diversas formas. Inclusive criando juntas na frente e por trás das câmeras. A gente tá trabalhando para entregar um show muito especial com bate papo sobre autocuidado e estratégias para se manter vivas diante de tantos desafios. Eu sou uma mulher, negra, diretora e roteirista. Esse é o primeiro musical que dirijo no audiovisual. É meu sonho dirigir shows e experiências musicais nesse sentido”, ressalta Yasmin Thayná, diretora artística do especial.

Atuando com assiduidade na televisão, no cinema e nos shows, e saudada como a mais importante atriz-cantora do país, Zezé Motta, durante seus mais de 50 anos de carreira, rompe barreiras e coloca no centro da cena artística nacional as múltiplas dimensões do protagonismo feminino e negro em tela. O seu imenso talento e carreira inspiram atuais e futuras gerações de mulheres que lutam por expressão, espaço e oportunidade.

 

Serviço:

 

Especial Zezé Motta - Mulher Negra.

Data: 25 de julho (domingo).

Horário: Às 17h.

Onde: Canal L!ke (530 da Claro - 500 da Claro NET), e Canal Teatro Bradesco (YouTube).

 

Por: Clilton Paz.

Fonte: Costábile Salzano Jr.

Fotos: Bendito Benedito\ Divulgação.

Postar um comentário

0 Comentários